Tumor venéreo transmissível

O Tumor Venéreo Transmissível (TVT) é histologicamente definido como um linfossarcoma (Linfossarcoma de Sticker). Dessa maneira, é possível transferir células neoplásicas de um portador à outro animal, com localização predominantemente venérea, afetando o pênis e a vagina de cães, mas também podendo ser encontrado em regiões extragenitais (CHITI & AMBER, 1992).


Tumor Venéreo Transmissível (TVT), vulva e vagina de uma cadela.

Fonte: https://www.diagnosevet.com.br/noticias/tumor-venereo-transmissivel-em-caes-tvt


O TVT pode existir como massa solitária ou lesões múltiplas, em formato de couve-flor, ou como formas pendulares, nodulares, papilares ou multilobulares (GREATTI, 2004). Os sinais clínicos são secreção hemorrágica, lambedura frequente no local afetado e protrusão pela genitália de um tumor avermelhado e friável (MOYA, 2005). A malignidade do TVT tem sido demonstrada pelos relatos de massas tumorais secundárias localizados na cavidade bucal, seios nasais, bolsa escrotal, baço, globo ocular, nervos periféricos, cérebro e adenohipófise (CRUZ, 2005).

Diferente de outras neoplasias, o TVT é transmitido pelo coito, podendo ocorrer no mesmo animal por transferência das células para outras mucosas ou ainda ser inoculada em diversos locais por lambedura, mordedura, arranhadura ou devido à interação entre animais portadores e susceptíveis (RODRIGUES, 2001).

Para o tratamento vêm sendo utilizadas a criocirurgia, a radioterapia, a ressecção cirúrgica em apenas alguns casos e a quimioterapia. A terapia com sulfato de vincristina por via endovenosa, a cada 7 dias, gera resultados macroscópicos já a partir da segunda semana de tratamento, com diminuição das massas tumorais e exsudação (TELLA et al., 2004).

O prognóstico para a remissão total é bom, a menos que se encontre presente um envolvimento metastático. Apesar de sua potencial natureza maligna, o tumor venéreo responde a diferentes tipos de tratamentos, sendo o tumor mais responsivo à quimioterapia em oncologia veterinária (ERÜNAL-MARAL et al., 2000).

Algumas ações são necessárias a fim de contribuir na diminuição de casos de TVT. Deve-se realizar campanhas de castração de cães errantes; deve-se orientar os tutores sobre a gravidade da doença e os métodos de prevenção, como incentivar a castração dos animais e evitar os passeios na rua sem supervisão.



Palavras-chave: tumor venéreo transmissível, tumor em cães, quimioterapia, castração



Referências Bibliográficas:



CHITI, L.; AMBER, E.I. Incidence of tumors seen at the Faculty of Veterinary Medicine, University of Zambia: a four year retrospective study. Zimbabwe Veterinary Journal, v.3, n.4, p.143, 147, 1992.


ERÜNAL-MARAL, N.; FINDIK, M.; ASLAN, S. Use of exfoliative cytology for diagnosis of transmissible venereal tumour and controlling the recovery period in the bitch. Deutsche Tierärztliche Wochenschrift, v.107, n.5, p.175-180, 2000.


FERREIRA, C.G.T. et al. Tumor venéreo transmissível canino (TVTC): Revisão de literatura. PUBVET, Londrina, V. 4, N. 14, Ed. 119, Art. 803, 2010. exsudação (TELLA et al., 2004).


GONZALEZ, C.G.; SANCHEZ, B.C.A.; VELEZ, H.M.E.; BUEN, D.E.,A.N, D.E.; BUEN, D.E. Neoplasms of the reproductive system in bitches: retrospective study over 6 years. Veterinaria Mexico, v.28, n.1, p.31-34, 1997. MacEWEN, E.G. Transmissible veneral tumor. In: WITHROW, S.J, MacEWEN E.G. (Eds). Small Animal Clinical Oncology. Philadelphia: W.B. Saunders, 3.ed., p.651-656, 2001.


Greatti W.F.P., Amaral A.S., Silva S. B., Gaspar L. F. J, Barbisan L. F & Rocha N.S. 2004. Proliferation indexes determination by CEC and Ki-67 in fine needle aspiration cytology of transmissible veneral tumor. Arch. Vet. Sci. 9:53-59.


LOAR, A. S. Tumores do Sistema Genital e Glândulas Mamárias. In: ETTINGER, S.J. (ed.). Tratado de Medicina Interna Veterinária. São Paulo: Manole, 3.ed., p.1894-1906, 1992.


Moya C.F., Lopes M.D., Prestes N.C., Araújo, G.H.M. & Rodrigues M.M.P. 2005. Tumor venéreo transmissível canino: revisão de literatura e descrição de um caso clínico. MEDVEPVer Cientif Vet Pequenos Anim Esti. 3 (10): 138-144. Cruz G.D., Bonamin L.V., Santos C. F., Santos C. R. , Ruschi C. S. & Brunato C. L. 2005. Metástase atípica de tumor venéreo transmissível. Anais XII Encontro Nacional de Patologia Veterinária, 16-21 jul, MG.


Rodrigues G. N., Alessi A. C & Laus J.L. 2001. Intraocular transmissible veneral tumor in a dog. Ciência Rural 31:141-143.


TELLA, M. A.; AJALA, O. O.; TAIWO, V. O. Complete regression of transmisible venereal tumour (TVT) in nigerian mongrel dogs with vincristine sulphate chemoterapy. African Journal of Medicine and Medical Science., v.7, n.3, p.133-138, 2004.



Posts Recentes