Tumor venéreo transmissível

O Tumor Venéreo Transmissível (TVT) é histologicamente definido como um linfossarcoma (Linfossarcoma de Sticker). Dessa maneira, é possível transferir células neoplásicas de um portador à outro animal, com localização predominantemente venérea, afetando o pênis e a vagina de cães, mas também podendo ser encontrado em regiões extragenitais (CHITI & AMBER, 1992).


Tumor Venéreo Transmissível (TVT), vulva e vagina de uma cadela.

Fonte: https://www.diagnosevet.com.br/noticias/tumor-venereo-transmissivel-em-caes-tvt


O TVT pode existir como massa solitária ou lesões múltiplas, em formato de couve-flor, ou como formas pendulares, nodulares, papilares ou multilobulares (GREATTI, 2004). Os sinais clínicos são secreção hemorrágica, lambedura frequente no local afetado e protrusão pela genitália de um tumor avermelhado e friável (MOYA, 2005). A malignidade do TVT tem sido demonstrada pelos relatos de massas tumorais secundárias localizados na cavidade bucal, seios nasais, bolsa escrotal, baço, globo ocular, nervos periféricos, cérebro e adenohipófise (CRUZ, 2005).

Diferente de outras neoplasias, o TVT é transmitido pelo coito, podendo ocorrer no mesmo animal por transferência das células para outras mucosas ou ainda ser inoculada em diversos locais por lambedura, mordedura, arranhadura ou devido à interação entre animais portadores e susceptíveis (RODRIGUES, 2001).

Para o tratamento vêm sendo utilizadas a criocirurgia, a radioterapia, a ressecção cirúrgica em apenas alguns casos e a quimioterapia. A terapia com sulfato de vincristina por via endovenosa, a cada 7 dias, gera resultados macroscópicos já a partir da segunda semana de tratamento, com diminuição das massas tumorais e exsudação (TELLA et al., 2004).

O prognóstico para a remissão total é bom, a menos que se encontre presente um envolvimento metastático. Apesar de sua potencial natureza maligna, o tumor venéreo responde a diferentes tipos de tratamentos, sendo o tumor mais responsivo à quimioterapia em oncologia veterinária (ERÜNAL-MARAL et al., 2000).

Algumas ações são necessárias a fim de contribuir na diminuição de casos de TVT. Deve-se realizar campanhas de castração de cães errantes; deve-se orientar os tutores sobre a gravidade da doença e os métodos de prevenção, como incentivar a castração dos animais e evitar os passeios na rua sem supervisão.



Palavras-chave: tumor venéreo transmissível, tumor em cães, quimioterapia, castração



Referências Bibliográficas: