Gripe Aviária e Sua Influência na Produção Avícola

A produção avícola é uma área de extrema importância para a economia interna e externa brasileira. O Brasil é o maior exportador mundial de frangos de corte desde 2004 e em 2020 foi o terceiro maior produtor mundial, perdendo apenas para os EUA, além disso, o Brasil é o quinto maior exportador mundial de ovos demonstrando a importância da avicultura para a economia brasileira. Contudo, o vírus influenza é capaz de causar grandes prejuízos na produção afetando drasticamente a economia do setor, apesar de ser um vírus exótico em território nacional, é uma doença de distribuição mundial que já teve ciclos pandêmicos responsáveis por graves prejuízos ao comércio mundial avícola.

A gripe aviária, também chamada de influenza aviária, é uma doença infecciosa altamente contagiosa que afeta várias espécies de aves e ocasionalmente mamíferos, sendo causada pelo vírus influenza, o mesmo vírus que acomete o homem. Existem 4 espécies de vírus da influenza, divididos em A, B, C e D, segundo o Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus (ICTV). O tipo A possui vários subtipos dependendo da composição das proteínas HA e NA presentes nele. Há mais de 16 possibilidades para a proteína HA (H1 a H17) e nove para a proteína NA (NA 1 a NA 9), resultando em diversas combinações e consequentemente diversos subtipos. A gripe aviária é causada pelo vírus influenza tipo A, pertencentes aos subtipos H5 ou H7, que são as variáveis mais severas da doença.

A gripe aviária afeta o sistema respiratório das aves podendo provocar pneumonia, redução do apetite, interrompimento da postura, ovos deformados e sem casca, sinais clínicos nervosos, inchaço e coloração azulada da barbela, tosse, espirro e diarreia, em alguns casos as aves vão a óbito antes do aparecimento dos sinais clínicos, afetando de forma drástica a produção avícola, além de possuir uma letalidade próxima dos 100%.


LECH MUSZYNSKI/EFE/EPA. Disponivel em <https://noticias.r7.com/saude/russia-diz-ter-detectado-primeiro-caso-da-gripe-aviaria-em-humanos-20022021>.



Apesar da sua alta letalidade, o principal fator prejudicante desse vírus é a sua alta patogenicidade. Sua alta capacidade de mutação e consequentemente de adaptação a novos hospedeiros, além da sua capacidade de permanecer vivo por longos períodos em tecidos, penas, fezes e água, faz com que seja difícil evitar a sua disseminação e que seja necessário a interrupção imediata da produção e da exportação de produtos avícolas, abate dos plantéis, limpeza e desinfecção de toda granja e das áreas sociais, quando o vírus é identificado.



Prefecture de Miyazaki/Reprodução. Disponível em <https://jovempan.com.br/noticias/mundo/primeiro-caso-humano-da-gripe-aviaria-h10n3-e-registrado-na-china.html>.



Os principais transmissores desse vírus são as aves silvestres migratórias. As aves domésticas (frango e galinhas), principalmente as criadas soltas, podem ter contato com as fezes e com as secreções respiratórias de aves migratórias infectadas, como patos, gansos e gaivotas, que acabam por contaminar a água e o solo. Essas aves também são as responsáveis pela disseminação do vírus entre países, devido às suas características migratórias, dificultando o controle da doença e aumentando a sua disseminação. Outro fator favorável à disseminação do vírus é o intenso fluxo de pessoas e mercadorias ao redor do mundo, e mercados de venda de aves vivas.

Concluindo, o vírus da gripe aviária é um agente etiológico de rápida disseminação e letalidade, podendo acarretar grandes perdas para produtores rurais e afetar a economia avícola. A influenza aviária ser um vírus de difícil controle, faz com que produtores necessitem de um bom plano de biosseguridade que atinja todos os critérios mínimos de segurança a serem aplicados pelos estabelecimentos avícolas, estabelecidos pelo Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA).



Referências:

Castro, Antonio Guilherme Machado de. "Gripe aviária." (2005).

Dantas, Fabiano. "A gripe aviária e a volatilidade dos preços da carne de frango." (2008).

ABPA; Estatística do Setor. Disponível em <http://abpa-br.org/mercados/#relatórios>. Acesso em: 21 de setembro de 2021.

Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus (ICVT); Taxonomia de vírus: versão 2020. Disponível em <https://talk.ictvonline.org/taxonomy/>. Acesso em 17 de setembro de 2021.

Governo federal: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Influenza aviária (IA); 2020. Disponível em <https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sanidade-animal-e-vegetal/saude-animal/programas-de-saude-animal/pnsa/influenza-aviaria-ia>. Acesso em 15 de setembro de 2021.


Posts Recentes