Carrapatos: sua Relação com Pets e os Seres Humanos

Os carrapatos são pequenos aracnídeos ectoparasitas hematófagos, comuns de serem encontrados em pets, principalmente em épocas mais quentes, pois a temperatura e a umidade favorecem sua proliferação. Esses artrópodes podem causar desde uma simples coceira até transmitir doenças graves nos pets e nos seres humanos.


As fêmeas adultas dos carrapatos chegam a depositar no ambiente cerca de 3000 à 5000 ovos, que eclodem e liberam as larvas, que por sua vez irão se alimentar do hospedeiro e voltar para o ambiente. No meio ambiente as larvas evoluem para uma fase jovem chamada ninfa, que irá procurar um hospedeiro para se alimentar e posteriormente volta para o ambiente para chegar a fase adulta, que é nesse momento do ciclo o carrapato se reproduz sexualmente.


Essas idas e vindas entre o ambiente e o hospedeiro aumentam a capacidade de transmissão de doenças infecciosas, dado que esses parasitas durante sua evolução alimentam-se de diversos animais. Com esse comportamento de troca de localidade, os carrapatos são potentes carregadores de agente etiológico como bactérias e protozoários, causando doenças nos hospedeiros.


Os microrganismos causadores de doenças que estão presentes no carrapato são transmitidos através da picada do parasita, que acaba injetando sua saliva no local da picada, transmitindo os agentes patológicos no hospedeiro.


Sendo assim, os pets (principalmente cães) que se infectam com carrapatos, podem representar grandes facilitadores da transmissão e reservatórios de zoonoses, que se tratam de doenças transmitidas dos animais aos humanos. As principais doenças envolvidas nesse ciclo entre carrapatos, pets e humanos são a babesiose, erliquiose, anaplasmose, doença de Lyme e febre maculosa (a última muito comum no brasil, associada aos carrapatos estrela (Rickettsia rickettsii) que parasitam principalmente capivaras. É importante ressaltar que os verdadeiros culpados pela transmissão dessas doenças são os próprios carrapatos que são os vetores de tais agentes patogênicos, apresentando riscos aos animais e humanos.


A Erliquiose é uma doença comum em cães e é causada pela bactéria Erlichia canis e é transmitida pelo carrapato Rhipicephalus sanguineus. Apresenta sintomas como anemia, falta de apetite, emagrecimento e febre, devido que a bactéria em questão provoca alterações nas células sanguíneas. A Erliquiose é uma zoonose, mas não há transmissão direta do cão para o ser humano, o homem tem que ser picado pelo carrapato contaminado. Caso o animal apresente a doença, o tratamento é a base de antibióticos ou caso necessário seria feito por transfusão de sangue.

Imagem 2: Rhipicephalus sanguineus - Fonte: naturdata


Outra doença que é transmitida por um carrapato é a babesiose, causada por um protozoário Babesia canis capaz de destruir os glóbulos brancos do animal infectados. Dessa maneira, o animal apresenta sintomas como anemia, febre, falta de ar, perda de peso e aumento no volume abdominal. Seu tratamento é através de medicamentos que combatem o protozoário e que são receitados pelo médico veterinário.


Prevenção para os animais

Devido a presença muito comum de carrapatos no cotidiano de pets, que convivem diretamente com nós seres humanos, os métodos de combate e prevenção são de extrema importância. A prevenção tende a ser uma das maneiras mais eficientes de lidar com ectoparasitas, contudo no caso de carrapatos, essa prevenção é normalmente realizada através de meios que mantenham o organismo do animal menos suscetível e mais resistente a serem infectados pelos carrapatos. O motivo por trás dessa profilaxia ser a mais adequada, é por que carrapatos são aracnídeos extremamente resistentes ao ambiente, podendo sobreviver por um longo período sem se alimentar e algumas fêmeas podendo chegar a pôr de 3000 à 5000 ovos, o que dificulta a sua eliminação por completo no ambiente.


Assim, dentre as prevenções, é importante que tenhamos cuidado ao levar os nossos pets para passear, evitando locais que sabidamente possuem carrapatos, como os com vegetação alta, folhas, madeira ou até mesmo outros animais contaminados. Além disso, é importante que os animais sejam periodicamente checados (principalmente após retornar de um passeio), conferindo todo o seu corpo, especialmente na região interna das orelhas, pescoço, focinho, virilha e na região entre os dedos das patas. Uma maneira de facilitar a identificação desses parasitas é escovar os pelos do animal no sentido contrário.


Existem diversos produtos no mercado que também podem oferecer uma maior proteção aos cães e gatos, dentre eles temos sprays, spot-ons, coleiras anti-parasitários e comprimidos. Todos possuem diferentes efeitos e podem ajudar no combate aos parasitas, sendo que a melhor opção pode ser definida por meio do médico veterinário que saberá analisar a situação de cada animal em específico.


Por fim, é importante manter o ambiente em que o pet vive sempre bem higienizado, o que consequentemente evita que ambientes propiciem a reprodução e desenvolvimento de carrapatos. Caso eles sejam identificados, é possível realizar pulverizações e outros métodos que eliminem os invasores do ambiente.


Em conclusão, é evidente que os carrapatos são um tema importante de saúde pública, no qual a população deve se conscientizar e colaborar para o combate dos carrapatos, os quais estão presentes no cotidiano de animais e humanos, colocando ambos em risco. Com a colaboração de todos, podemos garantir um ambiente mais seguro tanto aos nossos queridos pets quanto a nós mesmos.




Referências:

http://www.scalibor.com.br/leishmaniose/carracas.asp

https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/controle_de_zoonoses/animais_sinantropicos/index.php?p=4499

https://www.boehringer-ingelheim.com.br/press-release/pulgas-e-carrapatos-as-ameacas-que-eles-trazem-a-saude-de-caes-e-gatos-e-como-evitar

https://meupet.bayer.com/pt-br/parasitas/carrapatos/prevencao-de-carrapatos-para-caes/

https://www.vetsmart.com.br/cg/estudo/13160/compreendendo-a-transmissao-de-patogenos-por-carrapatos-vetores



Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Av. Duque de Caxias Norte, 225 - Pirassununga - SP
Universidade de São Paulo - Campus Fernando Costa

E-mail: emvepjr@emvepjr.com

Telefone: (19) 3565-4003 | (19) 98268-2768

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube
Patrocinador
Parceira