Coronavírus: por que tanta preocupação?

O coronavírus (CID10) recebe esse nome em razão da sua aparência microscópica em forma de coroa. Ele é responsável por causar a doença COVID-19, que consiste em uma infecção respiratória, caracterizada por pneumonias, otites, sinusites e meningites, apresentada em sintomas como febre, catarro, tosse e dificuldade para respirar.

A transmissão do coronavírus ocorre pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como: gotículas de saliva, espirro (menos frequente), tosse, catarro, contato pessoal próximo como aperto de mão, ou contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como prevenção o Ministério da Saúde recomenda higienizar as mãos frequentemente com água e sabão ou desinfetante à base de álcool; evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas; evitar contato próximo com pessoas doentes; ficar em casa quando estiver doente; cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo; limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

A COVID-19 não tem uma taxa de letalidade tão alta quando comparada a outras doenças, ela só apresenta alta letalidade para os mais susceptíveis, denominados grupos de risco, isto é, o risco de morte quando exposto ao coronavírus é alto para idosos, imunossuprimidos, asmáticos, fumantes, diabéticos, hipertensos, indivíduos com pressão alta ou com problemas no coração. Mas então por que tanta apreensão?

O maior obstáculo enfrentado pela COVID-19 é que ela possui uma alta taxa de transmissão, ou seja, a doença consegue se alastrar com muita facilidade, e consequentemente velocidade. Logo, a preocupação é devida a em 2 causas: a primeira seria a capacidade da doença atingir o grupo de risco, e a segunda confere a superlotação do sistema de saúde, e se ele seria capaz de atender tantos doentes.

Gráfico elaborado pelo cientista Drew Harris e adaptado pelo biólogo Carl Bergstrom mostra como medidas de prevenção podem retardar o contágio da Covid-19 e evitar o colapso do sistema de saúde — Foto: Carl Bergstrom e Esther Kim/CC BY 2.0.


Como mostra o gráfico elaborado pelo cientista Drew Harris e adaptado pelo biólogo Carl Bergstrom, podemos observar claramente que se o país não adotasse as medidas de controle, o número de casos de coronavírus ultrapassariam a capacidade de atendimento do sistema de saúde, e, portanto, muitas pessoas ficariam sem o devido suporte.

Por esses motivos foram criadas várias medidas de controle, entre elas a suspensão de muitas atividades que aglomerassem multidões. A EMVEP Jr. entende e adota essas medidas, mas também não deixaremos de trabalhar, por isso desenvolvemos soluções alternativas para continuar atendendo nossos clientes e assim continuar a desenvolver e impactar vidas!


Fonte: Ministério da Saúde, adaptado pela equipe EMVEP Jr.

Posts Recentes
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Av. Duque de Caxias Norte, 225 - Pirassununga - SP
Universidade de São Paulo - Campus Fernando Costa

E-mail: emvepjr@emvepjr.com

Telefone: (19) 3565-4003 | (19) 98268-2768

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube
Patrocinador
Parceira