Macrominerais na produção animal

    As produções animais possuem suas particularidades, porém a nutrição é um dos principais fatores que influencia diretamente o desempenho do animal e sua produtividade. A nutrição animal reúne os pontos importantes e imprescindíveis para a saúde de bovinos, equinos, suínos, caprinos, aves e outros. Para uma boa nutrição são necessários vários componentes, e, dentre eles, estão os macroelementos minerais.

 

    Os macrominerais são substâncias de origem inorgânica que fazem parte dos tecidos e processos metabólicos do corpo. Suas funções variam de acordo com cada macroelemento, sendo eles: cálcio (Ca), fósforo (P), potássio (K), magnésio (Mg) e sódio (Na), e a quantidade varia conforme a espécie, raça, peso, idade e genótipo. Os minerais possuem várias funções importantes nos organismos: participam da constituição de enzimas, secreções, hormônios, estrutura esquelética, equilíbrio ácido-base e ativador enzimático de diversos sistemas biológicos.

 

    Dado a importância desses macroelementos minerais é de suma importância saber suas respectivas funções e o que sua deficiência ocasiona.

 

    O cálcio e o fósforo são os macroelementos responsáveis pela formação do tecido ósseo e dentes (constituem cerca de 70% dessas estruturas). Além de precisarem ser fornecidos na quantidade certa, também é necessário que esses elementos estejam balanceados, pois a deficiência de cálcio em animais jovens ocasiona retardo, malformação e raquitismo. Além da deficiência, o desbalanço entre esses elementos podem ocasionar diversos problemas permanentes.

 

    O Magnésio é o terceiro macroelemento que é essencial ao organismo animal e está diretamente relacionado ao sistema enzimático, metabolismo dos carboidratos e lipídios, componente estrutural de membranas celulares, cromossomos, ossos, transporte de íons e sinalização celular.  A deficiência de Mg manifesta-se clinicamente por retardo no crescimento, hiperirritabilidade, tetania, vasodilatação periférica, calcificação dos tecidos moles, retenção de placenta, anorexia, falta de coordenação muscular e convulsões.

 

    Sódio e potássio possuem as funções de regulação do balanço osmótico celular, o equilíbrio ácido-base, balanço hídrico do organismo e também atuam nos sistemas enzimáticos. Animais que não consomem sódio suficientemente podem apresentar depravação de apetite e até mesmo consumir terra. Da mesma forma que a falta de potássio resulta em diminuição da ingestão de alimentos, crescimento retardado e redução da produção de leite em fêmeas.

 

    Visto a importância dos macrominerais é necessário suplementar os animais nas situações em que a alimentação está deficiente ou quando se quer maximizar a produção. A suplementação alimentar consiste em oferecer aos animais todos os elementos que estão deficientes na dieta normal. Essa suplementação deve ser feita com a orientação de um profissional capacitado, com suplementos de qualidade e de acordo com a fisiologia de cada animal e sua categoria. 

 

    Para equinos, a suplementação dos minerais é importante para o aproveitamento da energia e do alimento, para a saúde dos tendões, cascos, articulações, musculatura, circulação e respiração. Uma das principais formas de equinos serem suplementados é através de ração e do sal mineral. A ração deve ser fornecida de acordo com a categoria a qual o animal pertence e, associada a ela, a utilização de sal mineral específico para equinos, sendo de extrema importância para o desenvolvimento de animais atletas e de todas as categorias, de modo a suprir as exigências diárias e alcançar o objetivo comum, que é o máximo de desempenho durante a atividade física. Além de cavalos adultos, a suplementação de potros também é muito importante, visto que falhas nessa fase podem ocasionar problemas permanentes e que prejudicarão esse animal na sua vida adulta.

 

    O primeiro grande erro ao se suplementar caprinos e ovinos é utilizar suplemento para bovinos, pois apesar de serem ruminantes como os bovinos, sua fisiologia, necessidades e produtos (carne e leite) diferem bastante. No mercado já existem produtos próprios para a fisiologia e necessidade desses animais, e é importante salientar que o uso de suplementos de outras espécies em ovinos e caprinos pode ocasionar urolitíase e desbalanço de outros macrominerais e microminerais.  Esses animais podem ser suplementados através de concentrados, que podem ser diluídos em água, de uso oral, misturados à ração e ficarem disponíveis no cocho de alimentação.

 

    Para bovinos, a suplementação também é de suma importância para a manutenção da saúde do animal e interfere diretamente na quantidade e qualidade de seus produtos. Em bovinos de corte está relacionada ao aumento de ganho de peso, redução da idade de abate e aumento taxa de concepção nas fêmeas. Para vacas leiteiras, a nutrição adequada está relacionada com a taxa de prenhez, desenvolvimento fetal, qualidade e quantidade do leite.  Logo, a suplementação desses bovinos difere de outros animais e no mercado há produtos específicos para essa espécie. Esses suplementos estão disponíveis em diversas formas e valores.

 

 

    As aves, principalmente as poedeiras, também necessitam de suplementação para uma boa produção. Os macroelementos principais são o cálcio e o fósforo, que estão diretamente relacionados à qualidade da casca dos ovos. Essa suplementação é feita principalmente através das rações, que já vem balanceadas.

 

   Para suínos, a correta suplementação está relacionada a longevidade na vida reprodutiva das matrizes, melhora do sistema imunológico e condição corporal dos animais.

Os suplementos são de suma importância para saúde do animal e, consequentemente, para o lucro da criação, através da melhora e manutenção da produção. Porém, seu uso de forma desbalanceada e indiscriminada traz sérios problemas aos animais, sendo necessária a avaliação e a indicação de uso por um profissional para isso.

 

 

 

Referências

 

ALMEIDA, M.I.V. et al. Conteúdo corporal e exigências líquidas e dietéticas de macroelementos minerais (Ca, P, Mg, Na e K) de novilhos mestiços Holandês-Gir em ganho compensatório. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.30, n.3, p.849-857, 2001.

 

LEITE, R.S.; ROCHA, J.S.R.; MICHELL, B.C. et al. Efeitos de planos nutricionais e de fontes de metionina sobre o desempenho, rendimento e composição de carcaças de frangos de corte. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.61, p.1120-1127, 2009.

 

MAZZUCO, H. Vitaminas: funções metabólicas e exigências nutricionais para poedeiras comerciais. Avicult. Industrial. p.32-37, 2006

 

MIRANDA, E. N. et al. Composição corporal e exigências nutricionais de macrominerais de bovinos Caracu selecionados e Nelore selecionados ou não para peso ao sobreano. Revista Brasileira de Zootecnia, v.35, n.3, p.1201-1211, 2006. 

 

TITTO, E. A. L.; PEREIRA, A. M. F.; TOLEDO, R. L. A.; PASSINI, R.; NOUGUEIRA FILHO, J. C. M.; GOBESSO, A. A. O.; ETCHICHURY, M.; TITTO, C. G. Concentração de eletrólitos em equinos submetidos a diferentes temperaturas. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal. v.10, n.1, p. 236-244, 2009.

 

VETNIL. Manejo e suplementação dos cavalos atletas – protocolo I, 2012. Disponível em: Acesso em: 14 mar. 2013.

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes

December 28, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Av. Duque de Caxias Norte, 225 - Pirassununga - SP
Universidade de São Paulo - Campus Fernando Costa

E-mail: emvepjr@emvepjr.com

Telefone: (19)99140-0094

Patrocinador